Serviço de Atendimento Especializado - SAE - realiza campanha de combate a sífilis

   
 
O SAE - Serviço de Atendimento Especializado em ISTs/HIV/ AIDS/ Hepatites Virais e Tuberculose do Município – realizará o Dia D de combate à Sífilis, amanhã 15 de outubro, das 07h30min às 12h e das 13h às 16h. O evento será nas dependências do SAE, que fica na Presidente Vargas 2389.
 
 
 
Serão disponibilizadas duas salas de atendimento com a oferta de testagens rápidas para Sífilis, HIV e Hepatites Virais B e C utilizando apenas uma gota de sangue da ponta do dedo com o resultado sendo informado em média em 15 minutos. Além disso, também serão repassadas orientações e informações importantes sobre essas doenças a todas as pessoas que passarem pelo local.
 
 
 
Em 2021, em São Borja, foram notificados 44 casos de sífilis adquirida, 18 casos de sífilis em gestantes e 04 casos de sífilis congênita. O prefeito Eduardo Bonotto destaca que a Prefeitura, através da Secretaria Municipal da Saúde, vem investindo cada vez mais na descentralização e facilitação do acesso dos usuários aos testes gratuitos, tendo as testagens disponíveis em todos os postos de saúde da rede municipal.
 
 
 
A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável e exclusiva do ser humano. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária). Nos estágios primário e secundário da infecção, a possibilidade de transmissão é maior.
A sífilis pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada, ou ser transmitida para a criança durante a gestação ou parto.
 
 
 
São muitos os sintomas da sífilis, dependendo da fase em que a doença se encontra. Na fase primária é comum o surgimento de ferida, geralmente única, no pênis, vulva, vagina, colo uterino, ânus, boca, ou outros locais da pele, que aparece entre 10 e 90 dias após o contágio. Essa lesão é rica em bactérias e é chamada de “cancro duro”. Normalmente, ela não dói, não coça, não arde e não tem pus, podendo estar acompanhada de ínguas (caroços) na virilha. Essa ferida desaparece sozinha, independentemente de tratamento.
 
 
 
 
Já na sífilis secundária os sinais e sintomas aparecem entre seis semanas e seis meses do aparecimento e cicatrização da ferida inicial. Podem surgir manchas no corpo, que geralmente não coçam, incluindo palmas das mãos e plantas dos pés. Pode ocorrer febre, mal-estar, dor de cabeça, ínguas pelo corpo. As manchas desaparecem em algumas semanas, independentemente de tratamento, trazendo a falsa impressão de cura.
 
 
 
 
Na fase assintomática não aparecem sinais ou sintomas. Mas na sífilis terciária, que pode surgir entre 1 e 40 anos após o início da infecção, costumam haver lesões cutâneas, ósseas, cardiovasculares e neurológicas, podendo levar à morte.
 
 
 
 
O diagnóstico é através do Teste Rápido e o tratamento é gratuito. O uso correto e regular da camisinha feminina ou masculina é uma medida importante de prevenção da sífilis. O acompanhamento das gestantes e parcerias sexuais durante o pré-natal de qualidade contribui para o controle da sífilis congênita. Além disso, é importante destacar que a sífilis não confere imunidade permanente, ou seja, mesmo após o tratamento adequado, cada vez que entrar em contato com o agente etiológico (T. pallidum) a pessoa pode ter a doença novamente.