INFRAESTRUTURA - Chuvas frequentes impedem recuperação das estradas municipais

 
 
 
 

As chuvas intensas e frequentes, nos últimos dois meses, têm dificultado as operações de recuperação e manutenção das estradas do interior do município. Só em outubro e novembro, foram cerca de 500 milímetros de precipitação pluviométrica – praticamente o dobro do que seria normal para o período. “Diante dessa rotina, depois de dois ou três dias de sol, quando começa a ser possível a ação das máquinas, a chuva retorna, inviabilizando novamente os serviços”, segundo relata o coordenador da Secretaria Municipal de Infraestrutura, Serviços Urbanos, Segurança e Trânsito, Mário Porto.

 

Apesar das dificuldades enfrentadas, alguns avanços têm sido possíveis. Na última semana, por exemplo, foram concluídos serviços de recuperação nas estradas de acesso à estação de pesquisas José Alvarez (antiga Fepagro) e ao assentamento Cristo Redentor. Com a utilização de motoniveladora, caminhões caçamba e equipamento de apoio, os dois trechos receberam melhorias. As vias estavam em situação precária, dificultando, inclusive, o transporte escolar.

 

Na última semana, também foi desenvolvida operação de patrolamento na região de Ivaí. À medida em que o tempo ofereça condições, o trabalho vai prosseguir na região, abrangendo estradas pela localidade de São Lucas, com o uso de motoniveladora e de caminhões.

 

Outra frente de trabalho está programada a região de Rincão de Santana. Mário Porto prevê ainda que nesta semana, dependendo de tempo bom, haverá patrolamento entre a Escola Olinto Dornelles e a ponte do arroio Santa Luzia.

 

O coordenador da Infraestrutura municipal lamenta que as más condições do tempo estejam atrapalhando a manutenção dos mais de 1,6 mil quilômetros de estradas de responsabilidade da Prefeitura. “Está em andamento o transporte escolar e é época de escoamento da safra de trigo e de implantação e manejo das lavouras de verão, quando é preciso que as estradas estejam em boas condições”, destaca ele. Mário Porto também lamenta que os transtornos são registrados justamente quando novas motoniveladoras e veículos de apoio foram adquiridos.